quarta-feira, agosto 31, 2011

Detalhes...Apenas imagine-os

O quarto estava claro
Era noite, mas a luz estava acesa
Eu dava uns retoques na maquiagem
E mexia nos cabelos
Que caiam-me pelas costas
Sempre gostei deles soltos
Acho encantadora sua dança a qualquer passo que eu dou.

*Desligue a luz agora, deixe algo que clareie, porém, com menos intensidade que uma lâmpada. Talvez, só a luz do monitor, ou abajur...Sim, sim. Assim está bom


Era na meia-luz que eu me encontrava
A porta fechou
"É agora", pensei.

Ele pegou-me
Segurou-me firme
Estava sem camisa, só de calça
Fez isso de propósito, sabia que eu adorava a combinação
Puxou-me pra perto
Bem perto, me fez sentir o volume em sua calça
Que, por sinal, implorava pra ser aberta.

*Feche os olhos por cinco segundos, imagine-se dentro da cena, como quiser. Lembre-se: apenas cinco segundos, assim já é o suficiente.


Me arrepiei
E desta vez, quem fechou os olhos fui eu
Ainda não tinha me beijado
Mas sua boca, estava colada à minha
Sua respiração ofegante.

*Pare aqui, acalme-se...Respire um pouco.


O cheiro do seu corpo me entorpecia
Teu perfume me atiçava
Fazia cada pêlo do meu corpo se levantar.

Pôs a mão no meu pescoço
E fez meu primeiro gemido escorrer pelo ar...
Ahhhh...

Segurou meu cabelo com uma das mãos
E com a outra, abaixou a alça da minha blusa
Beijou-me os ombros
Beijou com vontade
Deliciava-se com o sabor da minha pele.

Fiquei mole
Minha pernas bambearam
E me segurei nos seus braços
Que me pegaram e trouxeram de volta ao teu corpo
E aquela calça, que pedia pra ser aberta...

Finalmente, beijou-me a boca
Com voracidade
Com vontade
Com desejo
Suas mãos, agora percorriam costas, coxas e bunda
Inquietas, muito inquietas.

A calça pedia pra ser aberta
Foi aberta e tirada
Junto à cueca
Agora EU te beijava de uma outra forma
Ajoelhada diante de ti.

Passado um tempo do início de minhas carícias
Deitou-me na cama

*Esse é o momento de pôr a música pra tocar, se quer uma sugestão, tente esta aqui: Crazy - Aerosmith


Arrancou-me todas as peças de roupa
Seu corpo colado no meu
Aumentava cada vez mais a temperatura
Aumentava cada vez mais a vontade.

Uma guerra de amores
De dois corpos que desejavam se consumir
Con-SUMIR.

Pôs-me por cima
E nós dois nos dominávamos
No que, frequentemente gostam de chamar de "cavalgada".

Particularmente, eu adoro essa posição.

Os gemidos iam aumentando
A cada parte do meu corpo que você tocava
Eles ecoavam pelo ar, batiam nas paredes e voltavam cada vez mais fortes
Cada vez ficando mais gostoso
O que fazia nossos olhos conversarem
Sem, da boca, sair uma palavra compreensível.

Uma sincronia perfeita.

*Feche os olhos novamente, volte a imaginar, agora, pelo tempo que quiser.


Ficamos ali
Até um gemido mais alto cortar o ar
Indicando que cheguei onde eu queria estar.

Senti a contração e as pernas tremerem
Colei ainda mais meu corpo ao teu
A intensidade aumentou por alguns minutos
Até que te ouvi ofegar
Vi seu olhar mais descansado, sobre mim repousar
Enquanto suas mãos, agora, brincavam harmoniosamente só com os cachos dos meus cabelos.

(Misunderstood)

4 comentários:

@marcosvolk disse...

wooooooooow que HOT!!! haha
você escreve muuuito bem, adorei ^^ meus parabéns.

www.maisqueindelevel.com

.:JehFinhO:. disse...

Muito legal, seu bg e diz esses textos são musicas? parabéns e sucesso.

aparece por lá > http://www.diversao-web.com/

Karla Hack dos Santos disse...

A cada nova fase, novo passo, vai se instigando e encantando...
A trajetória do querer de ambas!!

Adorei!

;D

bia santos disse...

Me surpreendi com o aviso de blog para maiores de 18 anos...

Me surpreendi com o novo template, gosto de cores fortes...

E me surpreendi mais ainda com o post: intenso, quente, provocante. Me senti na cena...

Postar um comentário