terça-feira, junho 21, 2011

A história do nosso amor (1 de 3)

Convento de Santa Luzia, 20 de Outubro de 1999.


"Querido diário, está ficando difícil a minha permanência neste lugar. Cada dia que passa sinto-me atormentada pelo meu passado e o pior, sempre desejo tê-lo de volta. Minha razão luta fortemente contra o meu coração. Sinto que brevemente não conseguirei mais reprimir esses sentimentos. Que Deus me ajude."


Clarisse."


Ao nascer do sol mais um dia de visitas no convento, lá estava ele, Victor, seu amor do passado, com quem sonhava todas as noites e a quem dizia ser seu irmão. Há um ano, não sei como, Victor descobrira que Clarisse estava ali, escondida e passou a visitá-la quase sempre.


Dava pra ver em seus olhos o quanto ele a desejava, porém, Clarisse sempre menosprezou seus desejos carnais, então tratava Victor como um amigo, um irmão. Conversavam, riam e até faziam pequenas brincadeiras.


Há cinco anos eles se separaram, brigaram por futilidades, e desde então, Clarisse deu à sua vida um novo rumo. Entrou para o convento e passou a dedicar-se às obras sociais e tenta praticar o perdão para com todos aqueles que haviam lhe feito mal.


Porém, reprimia-se, estava confusa e por vezes quase perdia a razão, sabia que aquele não era o seu lugar.


Voltando à visita, ela e Victor conversavam há algum tempo, quando o horário estava pra ser encerrado, ele entregou uma caixinha à ela e disse:


"Vi você usando um parecido com esse em uma festa que fomos, espero que goste e guarde com carinho, eu mandei fazê-lo e é de todo o coração. Agora, preciso mesmo ir."


E foi-se...


(Continua...)


•Ouvindo Agora: Dear God - Avenged Sevenfold

3 comentários:

Eduardo Bittencourt disse...

Lindo! Seguindo.

Lucas Adonai disse...

Poxa, muito bom! :D

Francorebel disse...

Muito boa a história (li ao contrário, mas tá valendo, rs).

Bj!

F.

Postar um comentário