quinta-feira, janeiro 27, 2011

O sabor do nada


Eu preciso mesmo dizer que é teu olhar que me inspira?
Me arde e me queima prendendo-me a teu ser
Fazendo com que meus pensamentos não sejam em outra além de ti
E forte sejam meus sentidos quando toco tua pele... beijo esses teus lábios ou mesmo sinto teu suave perfume.
E deliro em momentos de amor, flutuando em teus braços
Sendo teu mastro e fazendo teu barco seguramente navegar

Sou teu homem, teu capacho, teu macho suado, que te beija ao luar
Me envolvo em tuas pernas cruzando as minhas ao redor delas
Deixando rente nosso contato e próximo a te adentrar


Minhas curvas unidas as suas, apertadas e encaixadas...
Rudes formando grande contraste a pele suave tua
Na troca de calor que nos envolve e nos faz gozar

Em movimentos lentos ou mesmo acelerados
Nos levando ao calor dos infernos e rapidamente fugindo ao frescor do paraíso


Minhas mãos a te marcar as costas fazem-te arrepiar
Entre desejos e devaneios sinto os meus lábios tua boca tocar
Te acariar a boca com a lingua minha
Percorrendo cada canto e sentindo o gosto de teu céu


Arqueando meu peito ao seu para que me sintas suar e lhe desejar
Faço com que tua vontade seja que eu exploda dentro de ti
E que assim simplesmente possamos nos completar
Sentindo cada pedaço da melodia que envolve nossos atos
Sentindo cada nota que chora nossa alma
Sentindo simplesmente... mais nada.




(Sinner)

2 comentários:

Francorebel disse...

Quer que eu comente o quê?

Sexy, no mínimo...

Francorebel disse...

;)

Postar um comentário